Sexta-feira, 18 de Junho de 2010

 

S A R A MA G O
(18.06.10)

 


 

 

“O mundo existe para terminar num livro” 
Mallarmé 
Morreu Saramago 
Em seu mundo nunca dantes navegado 
No entorno de lágrimas de Portugal 
E muito além do chão letral dos lusonautas 
Numa intermitência telúrica 
Morreu Saramago 
O criador de um verbo alumbrado 
Sua literatura esplende, arrebata 
Num mundo globalizado – e insano 
Muito além de seu tempo 
Morreu Saramago 
Entre seu palavrear de luz e sangue 
Densos Tejos que ainda rebrilham 
Em lágrimas que verteram seu espírito 
Procissão de excluídos 
Morreu Saramago 
Que nos viçou em língua mátria 
A sociedade sórdida: e o que somos 
Ovelhas perdidas de uma manada 
Contra a qual lutava... 
Morreu Saramago 
O ser humano historial, o homem bandeira 
Que na mão esquerda ainda tem uma roseira 
Que dá flores rubras a vida inteira 
Levantado do chão, nos ares 
AINDA VIVE SARAMAGO!
Silas Correa Leite, 
Santa Itararé das Letras, 
São Paulo, Brasil 
E-mail:


publicado por Do-verbo às 15:43
Registo de mim através de textos em verso e prosa.
mais sobre mim
blogs SAPO
Junho 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
19

20
25

28
29
30


pesquisar neste blog