Domingo, 29 de Novembro de 2009
 
 

 

Às vezes sinto que a palavra apouca
o tanto que queria fosse dito…
É quando o desespero me abre a boca
e tudo se liberta num só grito.



 
Um grito que ressoa além de mim,
e vindo das angústias ancestrais,
abarca, do princípio até ao fim,
anseios tão de menos, tão de mais…



 
Não quero ser de mais, nem ser de menos.
Apenas eu, aqui, no tempo certo.
Saber que sermos grandes ou pequenos
é porque estamos mais ou menos perto.



 
É sempre a perspectiva do meu grito
que tolhe o que calei, o que foi dito…

 

 
 
 
José-Augusto de Carvalho
10 de maio de 2005.
Viana * Évora * Portugal
 
 
Migrando para este novo espaço.


publicado por Do-verbo às 12:02
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



Registo de mim através de textos em verso e prosa.
mais sobre mim
blogs SAPO
Novembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
25



pesquisar neste blog
 
subscrever feeds