Terça-feira, 31 de Maio de 2011

 
 
Partiram tantos, rumo à áurea claridade
da fome que tem pão, da sede que tem vinho!
Deixaram para trás a insólita cidade
que apenas desconforto escolhe por caminho.
 
Levaram, na saudade, a triste cantilena
que, em lágrimas, se quer cantiga de embalar!
E à noite, quando a dor da solidão condena,
essa cantiga vai lhe as mágoas consolar.
 
Acharam desde o pão ao vinho, no labor.
E as gentes são iguais na dor e na alegria!
Apenas é diverso o modo de falar...
 
Aqui ficámos nós, sujeitos do que for
o dia de amanhã, que mal nos presagia
um dia mais no logro absurdo de esperar...
 
 


José-Augusto de Carvalho
27 de Fevereiro de 2008.
Viana * Évora * Portugal


publicado por Do-verbo às 09:53
Registo de mim através de textos em verso e prosa.
mais sobre mim
blogs SAPO
Maio 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
26
27
28

29
30


pesquisar neste blog