Domingo, 29 de Novembro de 2009
 
 
 
As muralhas e a torre
de menagem…
O passado percorre,
assombrado, a paisagem…
 
Que relógio parado
este tempo lacera?
Que caminho assombrado
só esta angústia gera?
 
Que mentira projecta
o teu verbo no mito?
Que assombrado poeta,
sem asas de infinito,
fica olhando as estrelas
sem saber merecê-las?


 
José-Augusto de Carvalho
8 de Outubro de 1998.
Viana do Alentejo*Évora*Portugal
Migrando para este novo espaço.


publicado por Do-verbo às 11:56
Registo de mim através de textos em verso e prosa.
mais sobre mim
blogs SAPO
Novembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
25



pesquisar neste blog